17 de ago de 2014

Um furo de 20 mil livros

Estava aqui relembrando uma matéria que escrevi há alguns anos, e que foi uma das que mais tiveram repercussão. Em conversa com uma funcionária do Departamento de Cultura da Prefeitura de Ponta Grossa, soube que uma porção de livros da biblioteca pública precisariam ser incinerados, porque tinham sido contaminados por fungos, devido ao armazenamento inadequado.

"Quantos livros?", perguntei. Mas não esperava que a resposta seria tão bombástica. "Vinte mil."

Foi um grande furo, nenhum outro veículo de comunicação sabia daquela informação, que ganhou a capa do Jornal da Manhã e, no dia seguinte, começou a ser replicada em todos os importantes sites, jornais e emissoras de TV.

Mais tarde, ainda suitei a matéria, com a surpreendente informação de que os livros contaminados haviam sido armazenados no mesmo galpão com os alimentos do Programa Mercado da Família, enquanto esperavam para serem queimados. Me infiltrei nesse galpão e levei o fotógrafo até o local onde os livros estava armazenados. Dessa vez, tivemos uma foto exclusiva, e reportagens exemplares cobrando ações mais cuidadosas com itens de uso geral da população.

[A matéria original pode ser lida na íntegra, clicando aqui]


Nenhum comentário: